Sobre a BVS

  • Histórico

    A Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) é uma rede da América Latina e Caribe de gestão da informação, intercâmbio de conhecimento e evidência científica em saúde, que se estabelece por meio da cooperação entre instituições. Cada uma das iniciativas integrantes da BVS se desenvolve em instâncias nos âmbitos geográficos, temáticos ou institucionais.

    No Brasil, em 1999, aconteceram as duas primeiras reuniões nacionais para o desenvolvimento de instâncias da BVS, e em setembro de 2008, foi lançado o Portal da BVS Brasil pela parceria entre a Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde representadas pelo Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (OPAS/OMS/ BIREME) e o Ministério da Saúde do Brasil, com objetivo de convergir as redes temáticas brasileiras[1].

    A Biblioteca Virtual em Saúde sobre Bioética e Diplomacia em Saúde (BVS BDS) foi inaugurada em 28 de julho de 2011 e integra Rede de Bibliotecas Virtuais da Fiocruz (BVS Fiocruz). É uma instância temática gerenciada pelo Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde (Nethis) da Fundação Oswaldo Cruz em Brasília.

    É desenvolvida sob o marco do acesso equitativo e universal à informação como direito humano fundamental, garantido pela Declaração Universal dos Direitos Humanos - 1948 (UNESCO, 1998), e tem seu acervo voltado para a confluência de três campos científicos e de atuação profissional: a Bioética, a Diplomacia e a Saúde Pública.

    [1] PORTAL do Modelo BVS. Guia da BVS 2011, 2011. Acesso em: http://modelo.bvsalud.org/vhl/gestao-da-bvs-3/guia-da-bvs/.

     

     

    [ ← Show Excerpt ]
  • Bioética e Diplomacia em Saúde

    Como fonte de informação, a Biblioteca Virtual de Bioética e Diplomacia em Saúde tem como objetivo principal disseminar informação de qualidade e confiável, propiciando a discussão e o desenvolvimento de novas pesquisas no contexto nacional e internacional, por meio do acesso livre à informação e da cooperação técnica em informação científica.

    Com a gestão da informação e do conhecimento, os processos de geração, coleta, organização, tratamento e disseminação da informação propiciam a discussão e o desenvolvimento de novas pesquisas.

    A BVS BDS propõe uma abordagem inovadora ao estudo da Bioética, ou seja, de não limitar a Bioética apenas a uma análise direta com a Saúde Pública, mas a observância de uma relação triangular das citadas áreas com as Relações Internacionais, principalmente se considerarmos os princípios regentes da globalização, da dependência econômica, tecnológica, social e política entre os diversos países.

    Conforme representada no diagrama:

     Diagrama_e_flor_BVS2

     

     

     

     

     

     

     

    [ ← Show Excerpt ]
  • Governança da instância BVS

    A gestão de uma BVS nos níveis estratégico, operacional e técnico é feita por meio de grupos de trabalho colaborativo, a saber: Secretaria Executiva, Comitê Consultivo e Comitê Técnico.

    Secretaria Executiva

    A Secretaria Executiva é exercida pelo Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde (Nethis), responsável por:

    • Desempenhar funções de coordenação e promoção da BVS;

    • Acompanhar as deliberações do Comitê Consultivo;

    • Promover capacitações do Comitê Técnico;

    • Assegurar a atualização e funcionamento da matriz de responsabilidades;

    • Organizar reuniões periódicas com a rede de colaboradores.

    Comitê Consultivo

    O Comitê Consultivo é composto por instituições de ensino, pesquisa e extensão, associações científicas e organismos governamentais e intergovernamentais que se relacionam com a temática. Funciona como fórum de deliberação para legitimar a biblioteca como espaço de informação científica e técnica. Tem como principal função levantar subsídios para:

    • Decisões políticas e estratégicas;

    • Critérios de desenvolvimento e avaliação contínuos;

    • Divisão de responsabilidades na operação cooperativa das fontes de informação;

    • Identificação de oportunidades e desafios informacionais;

    • Captação de recursos.

            1. Associação Brasileira de Relações Internacionais (ABRI);

            2. Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco);

            3. Centro Universitário São Camilo 

                 a) Programa de Pós-Graduação em Bioética (PPGBioética);

            4. Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

                 a) Casa de Oswaldo Cruz (COC);

                 b) Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris);

                 c) Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT);

                 d) Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC);

                 e) Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS)

            5. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT);

            6. Instituto Sul Americano de Governo em Saúde (ISAGS);

            7. Ministério da Saúde (MS)

                 a) Assessoria de Assunto Internacionais (AISA);

                 b) Coordenação Geral de Documentação e Informação (CGDI);

            8. Organização Panamericana da Saúde (OPAS)

                 a) Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme);

            9. Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

                 a) Programa de Pós-Graduação em Bioética (PPGB)

            10. Sociedade Brasileira de Bioética (SBB);

            11. Universidade de Brasília (UnB)

                 a) Biblioteca Central (BCE);

                 b) Instituto de Relações Internacionais (Irel);

                 c) Programa de Pós-Graduação em Bioética (PPGBioética);

            12. Universidade de São Paulo (USP);

                 a) Faculdade de Saúde Pública (FSP);

    Comitê Técnico

    O comitê Técnico é formado por profissionais das áreas de informação, bioética, saúde pública e relações internacionais das instituições que compõem o Comitê Consultivo. Tem como principais funções:

    • Atualizar os conteúdos das fontes de informação;

    • Participar de capacitações técnicas necessárias;

    • Promover e disseminar a BVS BDS.

    [ ← Show Excerpt ]
  • Seleção dos Materiais Bibliográficos

    Para compor o acervo da BVS BDS, o Comitê Técnico realiza a seleção e categorização de documentos recuperados em bases de dados reconhecidas por sua qualidade, tais como: Pubmed, NLM, Scielo, Rede BVS, bem como de outras fontes de informação nacionais e internacionais como o Sistema das Nações Unidas. Esses documentos são identificados e recuperados a partir de sugestões dos atores envolvidos ou via estratégias que contemplam palavras-chave e descritores aprovados conforme os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS).

    Esta BVS adota uma política metodológica diferenciada na seleção e categorização de seus documentos. Esta política garante a coesão da temática da biblioteca, bem como a curadoria da informação, que a tornam singular.

    Observa-se a seguir o fluxograma das atividades realizadas para a seleção e categorização de documentos:

    A BVS BDS possui uma Política de Seleção de Documentos que estabelece as diretrizes a serem seguidas no processo de seleção e categorização de todos os documentos que irá compor o acervo da Biblioteca.

    O que determina a inclusão de um documento nesta biblioteca é seu próprio conteúdo, incluindo documentos convencionais e não convencionais, podem compor o acervo da BVS Bioética e Diplomacia em Saúde:

    • Artigos de periódicos;

    • Editoriais de periódicos que possam ser considerados como artigos especiais, normalmente acompanhados de bibliografias;

    • Livros;

    • Capítulos de livros;

    • Trabalhos apresentados em eventos científicos;

    • Teses, dissertações e monografias;

    • Relatórios, resoluções e declarações de instituições renomadas nas áreas de Bioética, Saúde Pública e Relações Internacionais;

    • Legislação referente à temática;

    • Entrevistas publicadas em revistas científicas;

    • Resenhas de livros.

    Ainda, contribuindo com o controle bibliográfico e a disseminação da literatura científico-técnica, a BVS BDS disponibiliza para a base de dados LILACS, teses, dissertações e monografias de cursos de especialização relacionados à sua área temática.

    [ ← Show Excerpt ]
  • Atas de Reuniões e outros Documentos